h1

Maria Firmina dos Reis, a ” Maranhense”

maio 19, 2009

 Maria Firmina dos Reis

Uma das raríssimas gravuras de Maria Firma dos Reis encontrada na Biblioteca Pública de São Luis – MA

Primeira poetisa maranhense, (1825 – 1917). Era mulata e bastarda. Maria Firmina escreveu e publicou por muito tempo, crônicas, poesias, ficção e até charadas. Mulher inteligente e culta teve participação relevante no cenário cultural nacional, atuando também como folclorista e compositora, tendo sido, inclusive, responsável pelo hino da Abolição da Escravatura. Como romancista teve duas grandes publicações: Gupeva, de temática indianista, publicado em 1861 e Úrsula, publicado em 1859 onde assinara a obra sob o pseudônimo de “Uma maranhense”. Este último configura-se como o primeiro romance abolicionista da literatura brasileira e primeiro escrito por uma mulher no Brasil, e, em 1871, Cantos à Beira Mar. Faleceu aos 92 anos de idade.

Ah! Não Posso
Se uma frase se pudesse
Do meu peito destacar;
Uma frase misteriosa
Como o gemido do mar,
Em noite erma, e saudosa,
De meigo, e doce luar.
Ah! se pudesse!… mas muda
Sou, por lei, que me impõe Deus!
Essa frase maga encerra,
Resume os afetos meus;
Exprime o gozo dos anjos,
Extremos puros dos céus.
Entretanto, ela é meu sonho,
Meu ideal inda é ela;
Menos a vida eu amara
Embora fosse ela bela.
Como rubro diamante,
Sob finíssima tela.
Se dizê-la é meu empenho,
Reprimi-la é meu dever:
Se se escapar dos meus lábios,
Oh! Deus, – fazei-me morrer!
Que eu pronunciando-a não posso
Mais sobre a terra viver.

Maria Firmina dos Reis
Cantos à Beira Mar, São Luís do Maranhão, 1871, pags. 45-46

Fontes: Nascimento Morais Filho, poeta, escritor e acadêmico
e Jornal de Poesia.
*Publicado por SAM no  O Bar Do Ossian (http://renascimentolusitano.blogspot.com/)
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: